terça-feira, 6 de maio de 2008

Pensando em fRaGmento III













"O espectador cego deve ouvir a mordida e a deglutição, se perguntar o que está sendo comido ali, no palco. Quê eles comem? Eles se comem? Mastigar ou engolir. Mastigação, sucção, deglutição. Pedaços de texto devem ser mordidos, maldosamente atacados pelos comedores (lábios, dentes) ; outros pedaços devem ser logo tragados, deglutidos, engolidos, aspirados, absorvidos. Coma, trague, coma, mastigue, pulmoneie de um só trago. Vá, mastigue, triture, canibal! Ai, ai!...

Boa parte do texto deve jorrar num sopro só, sem retomada de fôlego, usando-o até o fim. Gastando tudo. Nada de guardar umas reservinhas, nada de ter medo de perder o fôlego. Parece que é assim que se consegue achar o ritmo, as diversas respirações, atirando-se em queda livre. Nada de cortar tudo, recortar tudo em fatias inteligentes, em fatias inteligíveis - como manda a boa dicção francesa de hoje em dia, na qual o trabalho do ator consiste em recortar seu texto qual salame, acentuar certas palavras, carregá-las de intenções, reproduzindo em suma o exercício de segmentação da palavra que se aprende na escola: frase recortada em sujeito-verbo-predicado, o jogo consistindo apenas em procurar a palavra chave, em sublinhar um membro da frase pra mostrar que se é um ótimo aluno inteligente - enquanto que, enquanto que, enquanto que, a palavra forma antes alguma coisa parecida com um tubo de ar, um cano de esfíncter, uma coluna com descargas irregulares, espasmos, comportas, ondas cortadas, escapamentos, pressão."


(Trecho do livro "Carta aos atores" de Valère Novarina)

10 comentários:

André disse...

Oi, oi, oi, oi Joice!É você, não é?

Ah, desculpe... Evoé, Baco!

Agora sim.
Aqui é Dré, fiz a oficina da Ana com você, lembra?
Conversamos pouco mas acho que não esqueceu o papo que desenvolvemos sobre "atitude poética". Adotei seu termo, é definitivo!
Quero dizer que adorei os arquivos "adicionais" no dvd do Beckett. Agradeça mais uma vez a pessoa que fez.

Eu adorei seu blog, sabia?
Percebo que você troca constantemente o enunciado e a foto de abertura, isso é demais.
Está treinando a diferença? (risinho cínico amigável)
Bem , como cheguei até aqui? Vamos lá:eu digitei no google "Novarina" e uma das páginas era a sua. Como soube que era você? Tem foto sua lá nos primeiros posts....ahahahah...você era loira, menina!Que diferença!!!!!!
É bonita loira também.
Por que Chiquinha Chicória? É algum personagem?
Lhe procurei no orkut mas não sei seu sobrenome, ficou difícil.
Quero lhe chamar para aquele papo com meu grupo, vamos?
Grande abraço.
Não percamos o contato.
Estou adorando o "pensando em fragmento". Quero mais!

Joice Marino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joice Marino disse...

Dré querido,

Claro que lembro de você, né?

Nossos papos do intervalo ficaram na minha cabeça também.

É tão difícil achar pessoas de pensamento ligadas ao nosso ofício que quando aparece é marcante mesmo.

Terei enorme prazer em conhecer o seu grupo e marcarmos aquele papo do treinamento.

Muito engraçado você ter achado esse blog desta maneira.

Quanto ao meu sobrenome, agora quem vai dar risada sou eu. Estamos todos ligados pelo gmail, lembra? Estamos no email coletivo...meu sobrenome está lá, né? (risinho não-cínico amigável)

Quanto ao 'Chiquinha Chicória', não é personagem não, mas pode virar. É apelido mesmo que eu já nem sei mais como começou. =)

Venha sempre, viu? Bom ver gente de "nívi" por aqui.

Beijo!

betina moraes disse...

ôh joice,

é impossível resistir as seduções de seu intelecto! a pergunta que não quer calar: onde é que você arruma tempo para ser, além de linda, cheia de conhecimento? vou pegar teu Rosa, teu Novarina, teu "qualquer que você quiser me apresentar"!

um beijo querida

Joice Marino disse...

Puxa vida, Betina, minha irmã...

Sempre tive antes de mim, nessa vida, um alguém que chegou antes no bom gosto do pensamento. Isso que sou é só (só?) um eco do que vi onde você foi. Que bom!

O que lhe apresento é esbarrão em coisas onde ali lhe reconheço. Lhe trago o que sei que vai lhe afetar. Então, de certa forma, quem me ensinou esse pouco de ver, foi também você. =)

Um beijo, querida.

andre disse...

EVOÉ BACO!

Joice,

Como é que é? Estou esperando! Não vai postar mais nada?
Recebeu meu email sobre aquela discussão de potência e intensidades? Quero que responda, viu? Sua contribuição é desejada, não é só um blá blá blá não, hein?Vamos começar a solicitar nosso grupo de estudos, o que acha? Marcos me falou que pode ser que ela aceite fazer por email. O que acha? Cadê você? Pensei em te procurar no orkut, mas eu mesmo pouco entro, acho email mas bacana. Mas é preciso que a senhorita responda, né?

"É tão difícil achar pessoas de pensamento ligadas ao nosso ofício que quando aparece é marcante mesmo."
Faço das suas, minhas palavras.

Grande beijo, aguardando seus comentários no grupo do gmail.

andre disse...

Putz!Vamos lá:

Errata: não é "mas bacana" e sim, "maIs bacana."

Perdôe.

Bj.

Joice Marino disse...

Dré, caramba...

Não recebi nenhum email. E, claro, se recebesse responderia logo que pudesse. Também acho email mais legal. E quando a proposta é estudo, tô dentraço!
Olha, mande de novo o email para joicemarino@gmail.com, ok?

Quanto ao grupo com ela ser por email, acho maravilhoso, já que não dá para ser fíxo. Assim ela pode responder a hora que achar bacana.

Bom, eu ainda não achei nada que eu tivesse vontade de colocar aqui. Acho que já tem muita coisa que poderia ser objeto de comentários aqui, mas o povo que frequenta blog é mais simpático do que lindo, adorei.

Bom, não posso reclamar, tem minha irmã que sempre me dá um retorno e agora você, né?

Beijo, vamos trabalhar! =)

Anônimo disse...

Joicinha linda,


Vou mandar o email novamente, que coisa! Por que justo este nunca chega?
Estava ontem me lembrando do papo que tivemos no intervalo, lá no curso.
Estive pesando naquilo de intenção e intensidade que ouvimos de Novarina.
E fiz um paralelo com seu papo sobre o momento da criação, o "ativo passivo".
Aquilo é uma chave para a questão da intensidade, você estava certa.
Sugere algum excercício para o grupo? Como se treina isso? Ah, eu sei...cada um descobre seu processo. Mas algo me diz que você pode ajudar, estou errado?

Um beijo grande, menina!

do amigo, André.

Joice Marino disse...

André,

Desculpe a demora em responder.
Bem, cada um tem seu processo mas é lógico que a experiência de uma pessoa pode nos ajudar nesta busca.
Sim, existe excercício para tudo. Aliás, existem excercícios que fazemos desde cedo mas não sabemos que eles atingem camadas mais profundas do processo de treinamento do ator.
Por exemplo, o excercício do ponto (o tal, que ninguém gosta de fazer, lembra?)
Considero um dos excecícios mais importantes para o ator.
Quando iniciamos no teatro, este excecício serve para nos trazer para dentro da sala, aprumar o corpo, adquirir mais foco, calar um pouco a mente. Mas, se continuarmos com ele, nas suas camadas mais profundas, além de afinarmos tudo o que já se trabalhava, vamos perceber a musculatura, os nervos, e respiração e adquirir uma conscientização física cada vez mais propícia para o trabalho de ator.
O ator precisa de um concentração específica, é preciso descobrir isso para poder chegar no "ativo passivo" que também contém camadas infinitas.
E o excercício do ponto, feito desta maneira, com todas as variações que você deve conhecer,é o que indico, por enquanto.

Um super beijo.