sábado, 1 de novembro de 2008

Ao menino Davi

3 comentários:

betina moraes disse...

é uma foto fabulosa!

que luminosidade...

e a história da rosa...

lindo demais!

Joice Marino disse...

Tem vezes que eu fico me perguntando se a culpa é minha, por ver magia em tudo ou se a vida é mesmo encantada, como dizem alguns...
Não sei...E também, o que isso importa?
O fato é que fui cercada por um mistério e as crianças têm a ver com isso. Só elas vêm mostrando as coisas para mim, desde sempre.
É por isso que minha maior timidez é com elas. É como se soubéssemos que a vida é outra, trocamos olhares cúmplices que eu não entendo.

Nunca sei ser natural perto de uma criança e elas sabem disso e riem cruelmente da minha cara.

Ah, às vezes me dão flores, assim, aparentemente do nada, como o fez o menino Davi.
Essa florzinha miúda, que não morreu e secou perfumada...

andre disse...

Me conta essa história?

Adoro suas histórias.

Estou aqui vivendo a melancolia das suas postagens, em silêncio.

Vai falando... café?

Beijo para Joice e para a irmã Betina.